quinta-feira, 6 de abril de 2017

AGRADAR PARA MANTER RELACIONAMENTOS

Você é o tipo de pessoa que está sempre tentando agradar?
Você deixa as suas coisas para realizar as dos outros?
Você frequentemente se sente frustrado porque ninguém reconhece a sua dedicação?

Então acho que chegou o momento de rever o verdadeiro motivo de estar sempre escolhendo fazer tudo para todo mundo e nunca para você mesmo.

Quando o "agradar" se torna ferramenta de manutenção para manter um compromisso, surge a frustração e o fracasso dos relacionamentos. É bastante fácil compreender isto quando usamos a seguinte metáfora:
Imagine que você tem uma despensa com alguns produtos, mas não todos que gostaria de ter. Em dado momento, você julga necessário dar algum produto (já aberto, pela metade) da sua despensa carente para outra pessoa, com a expectativa de que ela devolva o produto emprestado, além da porção que já faltava!

      É nesse ponto dos relacionamentos em que as frustrações e os desentendimentos começam a ocorrer, nas expectativas. Tudo porque você, ou a outra parte, deu algo porque quis sem, contudo, avisar ao parceiro que queria ser pago por isso. E as pessoas não costumam avisar umas às outras, porque desde criança somos ensinados o quanto é feio querer algo em troca.

Feio é se sentir triste e frustrado, e gerar desconforto para os outros! E Feio também é cobrar do outro aquilo que mal temos para nós mesmos...
Ora, vamos ser autênticos com todos (com você e com os outros). Doe, agrade, seja generoso quando a sua despensa estiver abundante, pois quando ela estiver carente é exatamente isso o que você dará às pessoas. Mas quando achar que tem condições de contribuir com seu parceiro emprestando algo, ainda que a sua despensa esteja desabastecida, então comunique-o que você está em falta consigo mesmo e que em determinado momento irá precisar daquilo de volta.

Não se iluda achando que o outro não irá embora porque precisa de você.  Isso não funciona, primeiro porque geralmente cria o movimento inverso, afinal nenhum devedor gosta de ficar perto do seu credor e, segundo porque se a pessoa ficar próxima, será no mínimo cansativo e desprazeroso para ela manter este tipo de relacionamento.

Não há nada de errado em querer melhorar a vida do outro, desde que esta escolha venha vazia de intenções ligadas às suas próprias carências.

 Enfim, você pode estar achando tudo isto uma loucura ou não concordar com nada, mas mesmo assim, gostaria de te desafiar a praticar esse outro ponto de vista (doar sem expectativas). Faça isso em seu relacionamento mais complicado e observe o resultado desta experiência em ambas as partes!

Abraços e gratidão
Fresia J de Sá Bastos

         
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...