sábado, 11 de junho de 2016

MICROFISIOTERAPIA - MÁXIMO CUIDADO



Pouco conhecido do público em geral, mas atraindo os fisioterapeutas cada vez mais, a MICROFISIOTERAPIA merece atenção especial. Técnica manual fundada por dois franceses, que pode fornecer respostas terapêuticas para uma série de patologias. Então, o que ela faz? Quais são as suas capacidades?

A MICROFISIOTERAPIA é uma técnica de cura e equilíbrio manual, fundada na década de 1980 por dois osteopatas e fisioterapeutas franceses, Daniel Grosjean e Patrice Bénini.

MEMÓRIA CELULAR





A MICROFISIOTERAPIA tem por objetivo encontrar, no corpo do paciente, vestígios de acontecimentos traumáticos, e estimular as áreas para desencadear os mecanismos naturais de autocorreção. Em outras palavras, o corpo humano é projetado para adaptar-se, defender-se e se autocorrigir em caso de uma agressão (física, emocional, tóxica, viral, microbiana, ambiental, etc.). Quando a agressão é além da sua capacidade de defesa, o corpo será afetado.

A ideia básica da MICROFISIOTERAPIA é a memorização tecidual da agressão, uma memória palpável e identificável ​​pelo terapeuta. Seu objetivo, depois de identificar, a origem da lesão, é de evitar a degradação do tecido e restaurar a função, estimulando os mecanismos de autocorreção.

Os defensores desta técnica já demandaram muitas avaliações desde os anos oitenta, atestando eficácia no tratamento de distúrbios relacionados aos choques de traumas físico, os choques psicológicos ou emocionais e até mesmo nos contatos com toxinas e poluentes.

UM NOVO MAPEAMENTO


        Intrigado com o fato de que muitos pacientes, muitas vezes voltaram a ver osteopatas e fisioterapeutas pelos mesmos sintomas, e tendo identificado algumas limitações de suas práticas básicas, Grosjean e Bénini começaram a desenvolver uma terapia complementar de fisioterapia, mas que, por força do trabalho, a pesquisa e observação, tornou-se uma prática de pleno direito .Daniel Grosjean nos fala: "Toda a fisioterapia foi desenvolvida no post mortem, cadáveres, enquanto  nós trabalhamos em um corpo vivo  o que é, obviamente, totalmente diferente. "

Marcado por seus longos anos de teologia, Grosjean tem uma intuição: "Na teologia, é sempre forçado a voltar às origens, à fonte. Então eu tive a ideia de voltar à fonte do corpo humano, de abrir os livros de embriologia. "

A aventura da formação do corpo humano torna-se um campo de exploração e análise que permitiu que os fundadores da MICROFISIOTERAPIA obtivessem, entre outras coisas, um novo "mapeamento" do corpo para curar.

SUA CONTRIBUIÇÃO, INOVAÇÃO?


Em fisioterapia, os músculos são agrupados por sua fisiologia, em grupos: extensores, flexores, adutores, abdutores e rotadores. Esta abordagem é necessária para estabelecer protocolos de reabilitação como Daniel Grosjean admite, mas é "inútil para pesquisar uma etiologia traumática".

Para a MICROFISIOTERAPIA os três tecidos embrionários, primeiramente o mesoblasto que fornece todo o sistema muscular, bem como a locomoção visceral, são essenciais. Se lateral (ventral) ou paraxial (dorsal), estes mesoblastos (também os tecidos ectoblásticos e endoblásticos) oferecem uma nova leitura para a MICROFISIOTERAPIA. Assim, nasce uma nova forma de investigação na qual os dispositivos de inspeção são as mãos.

TECIDO MOLE E CURA


Como na osteopatia, não é nem nas articulações ou os tendões, ou mesmo nas fáscias, que estão as chaves para a cura, mas nos músculos e na derme, nos chamados tecidos moles.

Como na osteopatia, o movimento respiratório primário (MRP) dos tecidos é a chave para aliviar as contrações e outros bloqueios ("Restrições") e autocorreção. Este movimento, sentido pelas mãos do terapeuta, corresponde a uma abertura e fechamento cronometrado a uma taxa de cerca de três segundos de ida e três segundos para voltar, e completamente independente de respiração do paciente.

Mas ao contrário da osteopatia, a MICROFISIOTERAPIA não se limita a MRP do crâneo e sacro, uma vez que está presente em todas as articulações do corpo.

A MICROPALPAÇÃO


A grande inovação e especificidade da MICROFISIOTERAPIA é a micropalpação. Claramente, o que acontece durante uma sessão: você se deita em uma mesa de massagem, completamente vestido e terapeuta vai “escutar” com as mãos. Como diz Daniel Grosjean: "O fato de que os pacientes estão vestidos não nos incomoda. Em primeiro lugar, isso permite que o paciente não fique tenso, e em segundo lugar, nós não precisamos de estar em contato com a pele. "Porque a informação recolhida pelo fisioterapeuta não esta abaixo da mão, mas entre as mãos.

O termo escutar não é o mais apropriado porque o fisioterapeuta transforma a "escuta tecidual" em "interrogatório tecidual".

Em vez de deixar as mãos imóveis sobre a zona testada, o terapeuta coloca as suas mãos na área a ser controlada de modo a executar um movimento lento, contínuo para controlar a reação da zona. Se o movimento respiratório primário estiver modificado ou ausente, o terapeuta percebe uma resistência que evita que as mãos de deslizarem livremente. Ele pode, então, determinar a etiologia do trauma e fazer a correção funcional.

A Correção ocorre quando há a liberação do movimento respiratório primário, o que permite ao corpo corrigir-se; e é ele que reage e executa a correção esperada e o bloqueio inicial desaparece.

"Para eliminar as sequelas pós-traumáticas inscritas dentro do músculo, nós reproduzimos o estiramento de uma maneira extremamente suave e delicada pois o objetivo não é agredir o músculo novamente mas indicar para o organismo a causa da disfunção", revela Patrice Bénini.

Esta micropalpação atua como uma espécie de correção homeopática “uma correção baseada na lei de similitude e na lei infinitesimal. Isto é, uma terapia que se insere na medicina dos semelhantes, e vem, portanto, complementar a medicina dos contrários", disse Bénini.

QUEM PODE PRATICAR?


Reservado apenas para fisioterapeutas e veterinários, os treinamentos em MICROFISIOTERAPIA são realizadas em 2 módulos de sete dias. O estudo da MICROFISIOTERAPIA é feito inicialmente nas lesões traumáticas inscrita nos músculos. Em seguida, é abordado as lesões nos circuitos nervosos, toxinas e lesões emocionais, relacionais e existencial, com uma linha infinita em busca da etiologia do trauma.

APÓS A SESSÃO


A sessão completa (30 a 45 minutos), o terapeuta encontra e revela as desordem que motivaram a consulta. O corpo então começa a se curar. Você pode sentir uma fadiga durante 48 horas, também pode sentir dores ou emoções diretamente relacionada à liberação das cicatrizes tratadas.

Beber muita água, para facilitar a remoção, e não fazer muito esforço é a única prescrição.

PARA QUEM, PARA QUÊ?


A MICROFISIOTERAPIA é indicada para todos os pacientes, independentemente da idade, desde crianças a idosos. Vale pontuar também que serve também como controle preventivo.

Claro, esta disciplina está provando ter uma real eficácia no tratamento de distúrbios associados com o sistema musculoesquelético (entorses, luxações, tendinites, fraturas e suas consequências, lombalgia, reumatismo, rigidez do pescoço, etc.), mas considerando que a memória do tecido mantém todos os vestígios de trauma, a MICROFISIOTERAPIA se revela formidável para ajudar o corpo para corrigir a aflição psicológica ou emocional (frustrações, conflitos, sofrimentos, etc.) que perturbam os circuitos nervosos, trauma tóxica (alimentos, metais pesado poluição ambiental, venenos) que afetam o ritmo vital do tecido da mucosa e o sistema endócrino.

PARA SABER MAIS

Um livro para os terapeutas ou os pacientes: “Recherche de l’étiologie en microkinésithérapie”, de Daniel Grojean, ed. Maisonville.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...