domingo, 27 de julho de 2014

EU ME SINTO, EU ME ESCUTO

Usar os cinco sentidos para perceber o que nos acontece diariamente é um processo natural. Mas usar os mesmos cinco sentidos para perceber o que nos acontece internamente parece no mínimo estranho.

Apesar de uma minoria fazer isto, grande parte das pessoas deixaram de perceber como se sente diante das situações que vivemos. Esta desconexão com este mecanismo instintivo se dá desde de muito pequenos, quando o nosso sentir é desprezado em detrimento a um outro comportamento considerado melhor.


O equivoco se inicia em acreditar que o mais adequado é igual para todos. Entretanto basta observar um pouco para percebermos como somos únicos, e esta singularidade tem como conseqüência escolhas particulares para cada um.

Então pode se concluir que experienciar e sentir com os cinco sentidos é o caminho mais curto para compreender e escolher os rumos de nossas vidas.

Desde o útero materno usamos o sentir como referencia de lidar com o que recebemos externamente, nesta fase os sentidos dominantes são o tato e audição. Estes sentidos são muito intensos quando nascemos,  nota se isto no símbolo do som da batida do coração materno  que é referencial de segurança de sobrevivência e se por uma fatalidade nos é negado este som a criança pode vir a desenvolver otites.

Este programa  do sistema coprpo-mnte pode se manifestar em outras fases das nossas vidas, por exemplo: quando crianças  esperamos um brinquedo que não chega; adultos quando esperamos ansiosamente por um contrato, ou por uma proposta de emprego pelo telefone.

São inúmeras as situações em que o sentido da audição pode ser usada pelo sistema corpo-mente como resposta a situações percebidas como perigosas. Como numa circunstancia de um assalto onde não escutei o perigo se aproximar o organismo pode então responder enviando um zumbido de alerta para ficarmos sempre atentos a partir dai.

A proposta é prestar atenção aos sinais da nossa fisiologia e identificar que desafio ambiental podemos vencer . Como diria nosso mestre Emmanuel Corbeel a "Natureza não quer nos perturbar somente nos fazer sobreviver."

Este assunto é tratado de maneira simples e direta pelos fisioterapeutas Fresia Sá e Sergio Bastos Jr. no 21º Programa Biointegral apresentado na Radio Mundial 95,7 FM- 660AM, vale a pena aumentar seu conhecimento sobre si e valorizar o nosso bem mais precioso NÓS MESMOS.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...